Aqui você encontra as lições do Evangelho Segundo o Espiritismo com uma apresentação leve e de fácil leitura. Todo conteúdo deste blog é publico. Copie, imprima ou poste textos e imagens daqui em outros blogs. Vamos divulgar o Espiritismo.

terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

Cap. 17 - SEDE PERFEITOS

O DEVER


7. O dever é a obrigação moral da criatura para consigo mesma, primeiro, e, em seguida, para com os outros. O dever é a lei da vida.


Com ele deparamos nas mais ínfimas particularidades, como nos atos mais elevados. Quero aqui falar apenas do dever moral e não do dever que as profissões impõem.


Na ordem dos sentimentos, o dever é muito difícil de cumprir-se, por se achar em antagonismo com as atrações do interesse e do coração.


Não têm testemunhas as suas vitórias e não estão sujeitas à repressão suas derrotas. O dever íntimo do homem fica entregue ao seu livre-arbítrio. O aguilhão da consciência, guardião da probidade interior, o adverte e sustenta; mas, muitas vezes, mostra-se impotente diante dos sofismas da paixão.


Fielmente observado, o dever do coração eleva o homem; como determiná-lo, porém, com exatidão? Onde começa ele? Onde termina? O dever principia, para cada um de vós, exatamente no ponto em que ameaçais a felicidade ou a tranqüilidade do vosso próximo; acaba no limite que não desejais ninguém transponha com relação a vós.


Deus criou todos os homens iguais para a dor. Pequenos ou grandes, ignorantes ou instruídos, sofrem todos pelas mesmas causas, a fim de que cada um julgue em sã consciência o mal que pode fazer.


Com relação ao bem, infinitamente variado nas suas expressões, não é o mesmo o critério. A igualdade em face da dor é uma sublime providência de Deus, que quer que todos os seus filhos, instruídos pela experiência comum, não pratiquem o mal, alegando ignorância de seus efeitos.


O dever é o resumo prático de todas as especulações morais; é uma bravura da alma que enfrenta as angústias da luta; é austero e brando; pronto a dobrar-se às mais diversas complicações, conserva-se inflexível diante das suas tentações.


O homem que cumpre o seu dever ama a Deus mais do que as criaturas e ama as criaturas mais do que a si mesmo. É a um só tempo juiz e escravo em causa própria.


O dever é o mais belo laurel da razão; descende desta como de sua mãe o filho. O homem tem de amar o dever, não porque o preserve de males a vida, males aos quais a Humanidade não pode subtrair-se, mas porque confere à alma o vigor necessário ao seu desenvolvimento.


O dever cresce e irradia sob mais elevada forma, em cada um dos estágios superiores da Humanidade.


Jamais cessa a obrigação moral da criatura para com Deus. Tem esta de refletir as virtudes do Eterno, que não aceita esboços imperfeitos, porque quer que a beleza da sua obra resplandeça a seus próprios olhos. - Lázaro. (Paris, 1863.)


Fonte da imagem: Internet Google.

6 comentários:

  1. bom dia meu amigo irmão parabens por mais este lindo blog e exelente trabalho de evangelização que faz,
    levando paz e serenidade aos corações aflitos e carentes da palavra do evangelho para mim é sempre uma honra participar de seu trabalho mesmo que seja como ouvinte que faz muito bem a minha alma
    um abraço grande desejando muito sucesso bjs marlene

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado querida amiga Marlene. É uma felicidade ter você aqui seguindo este novo trabalho religioso.
      Beijos,
      Carlos

      Excluir
  2. VIM TE CONHECER ASSIM QUE RECEBI A RECOMENDAÇÃO DA
    AMIGA MARLENE, ANJO DE LUZ, EM NOSSA NET, E OLHA MEU AMIGO
    ESTÁ DE PARABÉNS TEU TRABALHO É MUITO BELO, TODAS AS FORMAS
    DE SEMEADURA DAS LEIS DE AMOR DEVEM SEMPRE SER INCENTIVADAS E
    ESPALHADAS POR TODOS OS CAMPOS, MESMO QUE NOS PAREÇAM INFÉRTEIS,
    POIS UM DIA APENAS UMA LÁGRIMA SERVIRÁ PARA A SEMENTE NESTE SOLO
    GUARDADA, GERMINAR E CRIAR RAÍZES, PARABÉNS PELA INICIATIVA, AVANTE
    SEMPRE, NUNCA DESISTA, MUITA PAZ, LUCONI

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara Luconi, suas palavras encorajam-me a perseverar.
      Quanto à Marlene, ela é um presente virtual de Deus.
      Felicidades,
      Carlos

      Excluir
  3. sempre que posso,adentro no seu maravilhoso blog amigo querido,e,parabens pela exposiçao do texto belissimo acima,parabens! Nao desista nunca desse espetacular trabalho ao qual nos enche na alma!parabens,abço fraterno

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dicinha querida, obrigado por suas doces palavras de estimulo.
      Beijos,
      Carlos

      Excluir